quinta-feira, 18 de junho de 2009

Meu novo blog.............

Passem por lá e comentem e divulguem por favor!!!! Please...
Xoxo

sábado, 13 de junho de 2009

Meu mail

Queriam o meu Mail?????????????
Então é este: Sonia_hsm-mca@hotmail.com
Bye
Note: Acho que só posto naas ferias!

Xoxo

sábado, 6 de junho de 2009

Outra musica

Agora deu-me para escrever musicas... Aqui vai outra!

Durão vs Santo

Num jardim em frente á escola
Vi-te pela primeira vez…
Lindo corrias com os teus irmãos mais novos
Até que paras-te a olhar para mim e disseste:

Refrão:
Não digas a ninguém, não digas o que viste!
Sempre fui o Durão não é agora que vou ser o santo…
Por favor…
Não fales disto a ninguém,
Nem amigas, nem amigos, a ninguém!
Sempre fui o Durão e quero continuar a ser!

Desde aquele momento
Fiquei a olhar-te de uma forma diferente
Amigo poderias ser, eras um doce
Para quê esconder a tua verdadeira personalidade?

No outro dia na escola, o meu cacifo não abria
Ias a passar com o teu grupo, olhas-te para mim
E disseste que ias á casa banho.
Quando seguiram em frente, foste até mim e ajudaste-me
Um simples gesto que apreciarei para sempre
Até que:

Refrão:
Não digas a ninguém, não digas o que viste!
Sempre fui o Durão não é agora que vou ser o santo…
Por favor…
Não fales disto a ninguém,
Nem amigas, nem amigos, a ninguém!
Sempre fui o Durão e quero continuar a ser!

Sais-te de novo a correr,
Desta vez olhas-te para trás.
Os teus olhos percorreram os meus lábios com ar doce
Não te entendo!

Já estávamos a acabar as aulas quando olhei pela janela,
Lá estavas tu de novo, mas desta vez com os teus amigos
Vândalos!
Estavam a roubar um pobre miúdo…
Reparaste que te olhava com ar de ódio
Paraste e vi-te ser gozado pelos teus amigos.
Será por isso que me dizes:

Refrão:
Não digas a ninguém, não digas o que viste!
Sempre fui o Durão não é agora que vou ser o santo…
Por favor…
Não fales disto a ninguém,
Nem amigas, nem amigos, a ninguém!
Sempre fui o Durão e quero continuar a ser!

Há noite, debaixo da minha porta,
Uma carta estava lá
Apanhei-a e li-a
“Estou á tua espera no parque!
Adoro-te… Para sempre teu!”
Não sabia de quem era mas sai em direcção ao parque.

Lá estavas tu, montado num cavalo branco
Há minha espera com um ramo de flores
Aproximei-me com receio,
Tu sorriste de uma forma doce,
Desces-te do cavalo puseste-me uma flor no cabelo
E disseste:

Refrão:
Diz a todo o mundo, diz o que viste!
Sempre fui Durão mas quero mudar para santo…
Por favor…
Fala disto a toda a gente,
A amigas, a amigos, a todos!
Sempre fui doce e quero mostrá-lo!

Um musica minha

Digam se gostão da musica!


Ainda bem que houve desilusão!

Eras o meu amor
Fiel, amigo, simpático, querido, perfeito!
Um dia, no meu aniversario,
Todos os meus amigos, família, conhecidos lá estavam
Mas faltavas tu!
Eras o mais importa, a minha prenda eras tu.
Se tivesses lá, não era preciso mais nada.
Porque o amor que sentia por ti
Era mais valioso e forte do que todo o dinheiro do mundo!

A meio da festa, decidi ligar-te,
Tentei e tentei mais uma vez, mas nada.
Telemóvel desligado.
Onde estás? Porque é que me estás a fazer isto?
Será que era um sinal?

Refrão:
Naquele momento não conseguia ver mais nada á minha frente
Imagens, pensamentos, vozes,
Tudo isto me assombrava naquele instante
Estavam todos felizes menos eu.
Será que não percebem isso?
Para quê amar-te, se não posso confiar em ti?
Agora o mundo desmoronou
Vou tentar apanhar todos os pedaços do meu coração,
Para mais tarde alguém os montar, como um puzzle
Mas essa pessoa não vais ser tu, vai ser alguém que merece o meu amor!
Tu apenas mereces o meu ODIO!

Mais um dia passou, um simples “bom dia” me vieste dar
Nem beijo, nem abraço, nem um simples toque!
Que se passa contigo?
Será que as minhas desconfianças estão certas?

Um amigo disse-me que poderia estar a ser traída,
Mas nunca pensei muito nisso,
Agora sim percebo o que me queria dizer
Preciso de provas.
Vou apanhar-te “no local do crime”!

Liguei-te e não atendes-te.
Desligaste o telemóvel
Agora sim posso entrar em acção
Sei que vou sair deste jogo a perder
Mas não posso ficar na expectativa
Vou arriscar!

Refrão:
Naquele momento não conseguia ver mais nada á minha frente
Imagens, pensamentos, vozes,
Tudo isto me assombrava naquele instante
Estavam todos felizes menos eu.
Será que não percebem isso?
Para quê amar-te, se não posso confiar em ti?
Agora o mundo desmoronou
Vou tentar apanhar todos os pedaços do meu coração,
Para mais tarde alguém os montar, como um puzzle
Mas essa pessoa não vais ser tu, vai ser alguém que merece o meu amor!
Tu apenas mereces o meu ODIO!

Fui até tua casa, a tua mãe atendeu
“Desculpe o seu filho está?”
Apesar de nunca a ter visto, sabia que iria dizer-me tudo.
Deixou-me entrar, disse que ele estava no quarto com a namorada.
Fiquei paralisada, esbranquiçada, petrificada, sem palavras
Só consegui subir as escadas e deparar-me com aquela imagem no quarto dele.

O meu namorado estava aos beijos com outra
Não posso acreditar
Agora percebo as indirectas
Não entrei, pois comecei a chorar,
Apenas bati com a porta e corri para fora dali
Queria apagá-lo da minha mente
Mas ele ouviu-me e correu atrás de mim.

Refrão:
Naquele momento não conseguia ver mais nada á minha frente
Imagens, pensamentos, vozes,
Tudo isto me assombrava naquele instante
Estavam todos felizes menos eu.
Será que não percebem isso?
Para quê amar-te, se não posso confiar em ti?
Agora o mundo desmoronou
Vou tentar apanhar todos os pedaços do meu coração,
Para mais tarde alguém os montar, como um puzzle
Mas essa pessoa não vais ser tu, vai ser alguém que merece o meu amor!
Tu apenas mereces o meu ODIO!

Puxou-me até ao jardim, onde havia uma piscina e muitas flores e borboletas…
Seria um lugar romântico, e ideal se não me tivesse traído!
“Desculpa eu amo-te! Perdoa-me!”, foi apenas o que me disse
Olhei para ele com o olhar mais matador do mundo

Estava de frente para ele e para a piscina,
Na minha cabeça vadiavam imagens sem sentido
De todo o nosso namoro
Fiz o que tinha de ser feito, e empurrei-o para dentro de água
Com toda a descontracção, encaminhei-me para o portão
Passei perto de umas orquídeas, não resisti e apanhei duas
Tirei do bolso do casaco a minha máquina fotográfica
Tinha também um papel que ele me tinha escrito no primeiro dia do nosso relacionamento que dizia “It's Alright. It's Okay”
Colei-o ao ecrã e colei também uma orquídea que tinha beijado

Num gesto muito confiante
Mandei-a para ele
Antes de cair na água, segurou-a
Leu o papel e viu as fotos
Quando tinha a certeza de que ele estava a ver as fotos
Saí então passando pela sua “namorada”
Dei-lhe os parabéns e sai

As fotos que tinha deixado com ele, na máquina
Eram minhas e de outros rapazes e amigas a divertir-nos muito
Haviam umas em que estava com o seu melhor amigo aos beijos e muito íntimos
A sua cara fui de matar alguém
Mas a verdade é que ele é que me matou a mim
Como se tivesse levado o meu amor
Agora quem me quiser vai ter de lutar muito!

Refrão:
Naquele momento não conseguia ver mais nada á minha frente
Imagens, pensamentos, vozes,
Tudo isto me assombrava naquele instante
Estavam todos felizes menos eu.
Será que não percebem isso?
Para quê amar-te, se não posso confiar em ti?
Agora o mundo desmoronou
Vou tentar apanhar todos os pedaços do meu coração,
Para mais tarde alguém os montar, como um puzzle
Mas essa pessoa não vais ser tu, vai ser alguém que merece o meu amor!Tu apenas mereces o meu ODIO!

terça-feira, 2 de junho de 2009

Capitulo 10

Em Forks finalmente tinha acabado o dia, já tinham ido todos para casa, mas Bella ainda tinha ido á biblioteca, por isso tinha-se atrasado e não foi com o resto dos amigos. Estava agora no seu cacifo:
-Ele é tão lindo, forte, só não sei o porquê de não nos darmos bem! – Pensava ela, mas estes pensamentos são interrompidos por alguém que lhe coloca um braço sobre o ombro.
-Olá Bella!
-Edward? Que fazes aqui? Já foram todos embora…
-Todos não, tu ainda aqui estás! – Disse ele a sorrir.
-Pois… Mas querias alguma coisa?
-Sim, queria-te convidar para uma ida ao cinema. Pode ser?
Bella estava hipnotizada com aquele olhar, aqueles olhos cor de topázio líquido estavam a consumi-la aos pouquinhos. Quase não conseguia manter-se viva quando não os estava a ver. Aquela voz suave e doce ao mesmo tempo, com um toque muito sensual á mistura, estavam a levá-la para imagens que ela não queria imaginar.
-Então aceitas?
Mas tanta simpatia ás vezes e tanta ignorância e mau humor na maior parte do tempo, estavam a deixa-la cada vez mais confusa!
-Porque é que és tão simpático ás vezes, e outras vezes és a pior pessoa do mundo? – Esta foi a única coisa que conseguiu pronunciar.
O sorriso lindo que ele tinha, formou-se numa mascara muito, mas mesmo muito intimidadora, o sorriso desapareceu!
-Responde apenas se queres sair comigo.
-E se responder vais responder a todas as minhas perguntas?
Edward olhou-a nos olhos e respondeu a todas as perguntas dela…
-Não quero saber o numero do teu B.I, mas sim o porque desta pessoa fantástica que está aqui, de vez em quando ficar super má!
-É uma coisa que te vou explicar um dia! Não me peças mais nada, confia em mim. E agora és tu.
-Bem, o meu pai… não vai gostar muito. Mas pronto eu aceito! A que horas vais buscar-me…
-Ás 8 estou em tua casa! – Disse ele não a deixando acabar. Deu-lhe um beijo muito doce e saiu.

*********************************
Ashley e Zac tinham ido a um café, onde normalmente se encontravam todos os amigos. Mas por azar, ou sorte, Jared e Vanessa também foram para lá. Encontraram-se á entrada. Ambos os casais iam de mãos dadas, assim que se viram largaram-se logo, fazendo de conta que nada tinha acontecido.
-Hi guys! – Disse a Ash a sorrir.
-Hello Ashley! – Respondeu Vanessa.
-Então meu tudo bem, desde á pouco? – Perguntou Jared.
-Sim mano, e tu tudo bem?
-Ya, sempre! – Apertaram as mãos enquanto as meninas se abraçaram.
-Vamos até lá dentro?
-Sim, bora!
Entraram e o grupo deles chamou-os de uma mesa ao fundo do café…
Foram até eles, e sentaram-se. Cumprimentaram-se e começaram a falar:
******************Vanessa/Ashley*****************
-Então… - Começaram as duas ao mesmo tempo.
-Diz tu primeiro! – Disse a Ashley.
-Não diz tu! – Insistiu a Vanessa.
-Então tu e o Jared… Andam? – Disse ela tentando fazer-se a mais descontraída possível.
-Bem… Acho que se pode dizer que sim… - Responde Vanessa a sorrir.
-Espero que sejam felizes!
-Pois, igualmente para ti e para o Zac!
-Há isso… Obrigado!
-Queres ir comigo ao cinema logo á noite?
-Pensava que tinhas coisas combinadas com o Jared.
-Mas tenho um tempinho para a minha melhor amiga!
-Então pode ser… Ás 9 estou em tua casa!
-Ok!
Ficaram mais um pouco a falar enquanto os meninos:
-Zac se fazes a Ash sofrer estás feito!
-Claro mano, eu era mesmo capaz de fazer sofrer a miúda mais fixe do mundo!
-Sei lá és doido! Olha logo vou apanhar umas ondas queres vir?
-Ya preciso de descansar… - Respondeu Zac a sorrir.