sábado, 6 de junho de 2009

Um musica minha

Digam se gostão da musica!


Ainda bem que houve desilusão!

Eras o meu amor
Fiel, amigo, simpático, querido, perfeito!
Um dia, no meu aniversario,
Todos os meus amigos, família, conhecidos lá estavam
Mas faltavas tu!
Eras o mais importa, a minha prenda eras tu.
Se tivesses lá, não era preciso mais nada.
Porque o amor que sentia por ti
Era mais valioso e forte do que todo o dinheiro do mundo!

A meio da festa, decidi ligar-te,
Tentei e tentei mais uma vez, mas nada.
Telemóvel desligado.
Onde estás? Porque é que me estás a fazer isto?
Será que era um sinal?

Refrão:
Naquele momento não conseguia ver mais nada á minha frente
Imagens, pensamentos, vozes,
Tudo isto me assombrava naquele instante
Estavam todos felizes menos eu.
Será que não percebem isso?
Para quê amar-te, se não posso confiar em ti?
Agora o mundo desmoronou
Vou tentar apanhar todos os pedaços do meu coração,
Para mais tarde alguém os montar, como um puzzle
Mas essa pessoa não vais ser tu, vai ser alguém que merece o meu amor!
Tu apenas mereces o meu ODIO!

Mais um dia passou, um simples “bom dia” me vieste dar
Nem beijo, nem abraço, nem um simples toque!
Que se passa contigo?
Será que as minhas desconfianças estão certas?

Um amigo disse-me que poderia estar a ser traída,
Mas nunca pensei muito nisso,
Agora sim percebo o que me queria dizer
Preciso de provas.
Vou apanhar-te “no local do crime”!

Liguei-te e não atendes-te.
Desligaste o telemóvel
Agora sim posso entrar em acção
Sei que vou sair deste jogo a perder
Mas não posso ficar na expectativa
Vou arriscar!

Refrão:
Naquele momento não conseguia ver mais nada á minha frente
Imagens, pensamentos, vozes,
Tudo isto me assombrava naquele instante
Estavam todos felizes menos eu.
Será que não percebem isso?
Para quê amar-te, se não posso confiar em ti?
Agora o mundo desmoronou
Vou tentar apanhar todos os pedaços do meu coração,
Para mais tarde alguém os montar, como um puzzle
Mas essa pessoa não vais ser tu, vai ser alguém que merece o meu amor!
Tu apenas mereces o meu ODIO!

Fui até tua casa, a tua mãe atendeu
“Desculpe o seu filho está?”
Apesar de nunca a ter visto, sabia que iria dizer-me tudo.
Deixou-me entrar, disse que ele estava no quarto com a namorada.
Fiquei paralisada, esbranquiçada, petrificada, sem palavras
Só consegui subir as escadas e deparar-me com aquela imagem no quarto dele.

O meu namorado estava aos beijos com outra
Não posso acreditar
Agora percebo as indirectas
Não entrei, pois comecei a chorar,
Apenas bati com a porta e corri para fora dali
Queria apagá-lo da minha mente
Mas ele ouviu-me e correu atrás de mim.

Refrão:
Naquele momento não conseguia ver mais nada á minha frente
Imagens, pensamentos, vozes,
Tudo isto me assombrava naquele instante
Estavam todos felizes menos eu.
Será que não percebem isso?
Para quê amar-te, se não posso confiar em ti?
Agora o mundo desmoronou
Vou tentar apanhar todos os pedaços do meu coração,
Para mais tarde alguém os montar, como um puzzle
Mas essa pessoa não vais ser tu, vai ser alguém que merece o meu amor!
Tu apenas mereces o meu ODIO!

Puxou-me até ao jardim, onde havia uma piscina e muitas flores e borboletas…
Seria um lugar romântico, e ideal se não me tivesse traído!
“Desculpa eu amo-te! Perdoa-me!”, foi apenas o que me disse
Olhei para ele com o olhar mais matador do mundo

Estava de frente para ele e para a piscina,
Na minha cabeça vadiavam imagens sem sentido
De todo o nosso namoro
Fiz o que tinha de ser feito, e empurrei-o para dentro de água
Com toda a descontracção, encaminhei-me para o portão
Passei perto de umas orquídeas, não resisti e apanhei duas
Tirei do bolso do casaco a minha máquina fotográfica
Tinha também um papel que ele me tinha escrito no primeiro dia do nosso relacionamento que dizia “It's Alright. It's Okay”
Colei-o ao ecrã e colei também uma orquídea que tinha beijado

Num gesto muito confiante
Mandei-a para ele
Antes de cair na água, segurou-a
Leu o papel e viu as fotos
Quando tinha a certeza de que ele estava a ver as fotos
Saí então passando pela sua “namorada”
Dei-lhe os parabéns e sai

As fotos que tinha deixado com ele, na máquina
Eram minhas e de outros rapazes e amigas a divertir-nos muito
Haviam umas em que estava com o seu melhor amigo aos beijos e muito íntimos
A sua cara fui de matar alguém
Mas a verdade é que ele é que me matou a mim
Como se tivesse levado o meu amor
Agora quem me quiser vai ter de lutar muito!

Refrão:
Naquele momento não conseguia ver mais nada á minha frente
Imagens, pensamentos, vozes,
Tudo isto me assombrava naquele instante
Estavam todos felizes menos eu.
Será que não percebem isso?
Para quê amar-te, se não posso confiar em ti?
Agora o mundo desmoronou
Vou tentar apanhar todos os pedaços do meu coração,
Para mais tarde alguém os montar, como um puzzle
Mas essa pessoa não vais ser tu, vai ser alguém que merece o meu amor!Tu apenas mereces o meu ODIO!

Sem comentários: